Exame de sangue para Alzheimer pronto para uso clínico

O primeiro exame de sangue para detectar a presença de amiloide, um marcador da doença de Alzheimer, já está disponível para uso clínico, anunciou a C2N Diagnostics, empresa que desenvolveu o exame. A disponibilização de um teste não invasivo e simples de ser realizado está sendo considerada um marco na detecção precoce e no diagnóstico da doença de Alzheimer.

O exame de sangue “é uma nova opção para os pacientes, seus familiares e a comunidade médica, que aguardavam ansiosamente por ferramentas inovadoras para fazer frente aos problemas relacionados com a doença de Alzheimer”, disse o Dr. Joel B. Braunstein, médico e CEO da C2N Diagnostics, em um comunicado à imprensa.

“Este é realmente um avanço importante”, disse o Dr. Howard Fillit, médico, diretor executivo fundador e diretor de ciência da Alzheimer’s Drug Discovery Foundation (ADDF), que financiou parcialmente o desenvolvimento do exame, em outro comunicado à imprensa.

“Agora você pode ir ao consultório do seu médico e fazer um exame de sangue para ajudar a detectar a doença de Alzheimer”, disse o Dr. Howard. “Este exame atende a uma necessidade crítica de testes diagnósticos mais baratos e acessíveis no cuidado da memória e da demência.”

Vamos com calma

No entanto, Dra. Maria C. Carrillo, Ph.D., diretora científica da Alzheimer’s Association, destacou a necessidade de cautela.

O teste é “muito novo”, os especialistas têm apenas “informações limitadas” e só pode ser feito com a prescrição de um médico para pacientes com deficiência cognitiva, disse ao Medscape a Dra. Maria.

“O teste não foi aprovado pela Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos e não diagnostica, por si só, o Alzheimer”, acrescentou a Dra. Maria. “Sem a revisão da FDA, os profissionais de saúde carecem da orientação da agência sobre como usá-lo ao tomar decisões sobre a saúde ou o tratamento de alguém.”

A Dra. Maria também citou que o teste foi estudado apenas em um número limitado de indivíduos e que poucos dados estão disponíveis sobre populações sub-representadas.

“Por isso, não está claro o quão precisos ou generalizáveis os resultados são para todos os indivíduos e populações”, ela concluiu.

Outro fator a ser considerado, disse a Dra. Maria, é que o exame não é coberto pelos planos de saúde, incluindo o Medicare e o Medicaid.

Como funciona

O teste (PrecivityAD) é para ser usado por pacientes com deficiência cognitiva. Requer uma pequena amostra de sangue do paciente. O médico envia a amostra para o laboratório especializado da C2N Diagnostic, onde será analisada por espectrometria de massa para medir as concentrações de amiloide beta 42 e 40 e para detectar a presença de isoformas de apolipoproteína E.

O relatório laboratorial, que é enviado ao médico, detalha os níveis de biomarcadores e fornece uma pontuação combinada geral, conhecida como Amyloid Probability Score, para avaliar a probabilidade de níveis baixos, intermediários ou altos de placa amiloide no cérebro.

A empresa relatou que, com base em dados de 686 pacientes com mais de 60 anos que tinham deficiência cognitiva subjetiva ou demência, o teste identificou corretamente o status da placa amiloide cerebral, conforme determinado por tomografia por emissão de pósitrons (PET, sigla do inglês, Positron Emission Tomography) amiloide quantitativa, em 86% dos pacientes. Na análise, a área sob a curva para a característica de operação do receptor foi de 0,88.

A empresa disse que o exame, cujos resultados requerem interpretação por um médico, é uma nova ferramenta importante para auxiliá-los no processo de avaliação.

O novo exame de sangue está disponível em 45 estados dos Estados Unidos, no Distrito de Columbia e em Porto Rico.

C2N Diagnostics está avançando com o desenvolvimento de um painel de saúde do cérebro para detectar vários marcadores da doença de Alzheimer baseados no sangue, a fim de ajudar no estadiamento da doença, monitoramento do tratamento e diagnóstico diferencial.

A ADDF acredita que o caminho para a aprovação dos tratamentos da doença de Alzheimer começa com um diagnóstico melhor, disse o Dr. Howard no comunicado de imprensa de sua organização.

“Investir na pesquisa de biomarcadores tem sido um objetivo central para a ADDF, porque biomarcadores confiáveis, acessíveis e baratos para o diagnóstico de Alzheimer são essenciais para sermos capazes de encontrar medicamentos para prevenir, retardar e até mesmo curar a doença. Nosso financiamento ajudou a trazer o primeiro PET scan para o mercado e agora contribuiu com o primeiro exame de sangue”, disse ele.

Além da ADDF, os National Institutes of Health, a GHR Foundation e a BrightFocus Foundation contribuíram para subsidiar o desenvolvimento do exame de sangue amiloide.

 

FONTE: MEDSCAPE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Novídades

Biopsico, todos os direitos reservados - 2017