Consumo de álcool durante aleitamento materno pode reduzir cognição das crianças

Crianças cujas mães consumiram bebidas alcoólicas durante o aleitamento estão mais propensas a ter “diminuição do raciocínio abstrato por volta dos seis anos de idade, em função da quantidade de álcool ingerida”, mas este problema diminui entre oito e 11 anos, de acordo com novo estudo.

A atenuação do efeito nas crianças mais velhas pode ser consequência dos anos adicionais de escolaridade. Além disso, métodos tradicionalmente utilizados pelas mulheres para a redução da quantidade de álcool no leite materno depois de beber parecem ineficazes ou, na melhor das hipóteses, imprevisíveis.

“O álcool passa rapidamente para o leite, em concentrações semelhantes à concentração de álcool no sangue, e diminui a produção de leite da mãe. Embora a ingestão de bebida alcoólica imediatamente após a alimentação minimize a exposição ao etanol, nem todas as mulheres usam essa técnica, e a imprevisibilidade da alimentação do bebê pode atrapalhar essa estratégia”, escreveram as pesquisadoras.

Tirar o leite e desprezar, prática comum na qual mulheres coletam o leite com uma bomba logo após o consumo de bebida alcoólica e descartam, não diminui a concentração de etanol no leite materno porque a concentração de álcool no leite permanece elevada enquanto estiver presente no sangue da mãe, explicaram as autoras.

Louisa Gibson e Melanie Porter, PhD, ambas do Departamento de Psicologia daMacquarie University, em Sydney (Austrália), publicaramsuas descobertas on-line no periódico Pediatrics em 30 de julho.

As pesquisadores analisaram dados do Growing Up in AustraliaThe Longitudinal Study of Australian Children. O estudo teve 5.107 crianças avaliadas a cada dois anos. As pesquisadoras usaram análises multivariadas de regressão linear para estudar as associações entre o consumo de bebida alcoólica e o tabagismo durante o aleitamento materno e o desempenho dos em três parâmetros (Matrix ReasoningPeabody Picture Vocabulary Test – Terceira Edição e Who Am I?) ao longo do tempo.

Crianças cujas mães consumiram bebida alcoólica durante o aleitamento foram mais propensas a ter pontuações baixas no Matrix Reasoning aos seis e aos sete anos (coeficiente B [B] – 0,11; intervalo de confiança, IC, de 95%, de – 0,18 a – 0,04; p = 0,01). Essa associação não foi observada entre as crianças que não receberam aleitamento materno (B – 0,02; IC de 95%, de – 0,20 a 0,17; p = 0,87).

Esse resultado sugere que “a exposição ao álcool por meio do leite materno foi responsável pelos achados. No entanto, os potenciais efeitos de outros riscos ambientais e genéticos que podem conduzir a resultados como os descritos no estudo, são mais difíceis de serem determinados e quantificados”, escreveu, em um comentário relacionado, a Dra. Lauren M. Jansson, do Departamento de Pediatria, School of Medicine, Johns Hopkins University, em Baltimore, Maryland (EUA).

“A descoberta não é surpreendente quando consideramos a potencial base farmacocinética e os já conhecidos efeitos nocivos do álcool no desenvolvimento do cérebro”, acrescentou a Dra. Lauren.

“As concentrações de álcool no leite assemelham-se às do sangue em 30 a 60 minutos após a ingestão; a quantidade de álcool no leite é de 5% a 6% da dose ajustada pelo peso materno, e os recém-nascidos metabolizam o álcool a aproximadamente metade da velocidade dos adultos”.

Fumar durante a amamentação não foi relacionado com nenhuma variável de desfecho.

Dentre as limitações do estudo estão a ausência de registro da frequência e da quantidade de leite consumido pelos bebês, do momento em que a bebida alcoólica foi consumida, bem como da quantidade de etanol presente no leite materno.

“Embora os resultados desse estudo independam do consumo de bebidas alcoólicas durante o período pré-natal, a ingestão de bebida alcoólica durante a gestação foi registrada retrospectivamente pelo relato das mães, e muitas vezes há grande pressão psicossocial, além de muitas outras, que levam as mulheres a negar o uso da substância durante a gestação”, escreveu a Dra. Lauren.

Além disso, as mulheres que consomem bebida alcoólica durante a gestação ou durante o período de aleitamento podem ter outros comportamentos inapropriados, que interfiram na prática da maternidade, acrescentou.

As autoras e a editorialista declararam não possuir conflitos de interesses relevantes.

Pediatria. Publicado on-line em 30 de julho de 2018. ArtigoComentário

2 respostas para “Consumo de álcool durante aleitamento materno pode reduzir cognição das crianças”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Novídades

Biopsico, todos os direitos reservados - 2017